Pesquisar
Close this search box.

Milho começa semana em alta na B3

Em Chicago, o milho fechou em alta, puxada pelo petróleo e pela demanda ativa

A semana começou em alta para o milho na B3, apesar da retração da exportação, com maio/22 a R$ 104,59 a saca, de acordo com informações da TF Agroeconômica. “Nesta segunda- feira, a demanda de exportação parece mais arrefecida do que na semana anterior. Mesmo assim, o mercado fechou em alta, apesar da realização de lucros, diante das altas expressivas da semana passada. A maior demanda interna, diante da manutenção dos volumes de criação e abate e as deficiências da quebra da safra de verão estão começando a fazer efeito”, comenta.

“No fechamento de mercado, os principais vencimentos apresentaram as seguintes cotações: O vencimento maio/22 foi negociado por R$ 101,30 com ganho de 0,09%, o julho/22 valeu R$ 97,92 com valorização de 0,95%, o setembro/22 foi negociado por R$ 96,95 com elevação de 0,88% e o novembro/22 teve valor de R$ 99,40 com alta de 0,93%”, completa.

Em Chicago, o milho fechou em alta, puxada pelo petróleo e pela demanda ativa. “A cotação do milho para março22 fechou em alta de 2,02% ou 15,0 cents/bushel a $ 756,75. A cotação de julho22, importante para as exportações brasileiras, fechou em alta maior, de 2,18% ou $ 15,50 cents/bushel a $ 728,0. Petróleo avançando perto de 7%, deu suporte. A demanda ativa nos embarques dos EUA continua mostrando dinamismo, de acordo com um relatório semanal”, indica.

“Os dados semanais de exportação do USDA mostraram que 1.466 MT de milho foram embarcados durante a semana encerrada em 17/03. Isso foi um aumento de 319k T em relação à semana anterior, mas foi menor do que as 2,02 MT durante a mesma semana na temporada passada. O programa de exportação acumulado da temporada atingiu 1.078 bbu (27,38 MT), que fica atrás do ritmo da temporada passada em 190 mbu (4,83 MT)”, conclui.

Fonte: Agrolink

AMVAC DO BRASIL

AMVAC DO BRASIL

As soluções da AMVAC do Brasil proporcionam maior produtividade às culturas, contribuindo para uma agricultura melhor e mais sustentável, garantindo a longevidade do mundo.

COMPARTILHE!
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Print
Email